Volume 27   Edição 1  —   Abril de 2024

Pdf: Português (547 KB)

Viver como uma Congregação Laudato-Si’?

Por Maria-Theresia Knippschild, Província da Baviera/Distritos da Áustria-Itália e da Tchecoslováquia

Nosso compromisso de buscar as metas da Laudato Si’ como Congregação diz: Em fidelidade ao nosso carisma e missão… nos comprometemos a educar para a dignidade da vida e a integridade da criação.

“Isso é realmente possível, considerando nossa idade avançada? Podemos realmente nos comprometer a cuidar de nossa casa comum?” Muitas Irmãs se fizeram essa pergunta e pensaram em ações maiores. Mas, muitas vezes, são exatamente as chamadas ‘pequenas coisas’ que são feitas de forma consistente que são extremamente importantes e apoiam a integridade da criação.

As Irmãs nas nossas seis casas de repouso realmente se sentem como membros de nossa comunidade internacional de oração pela justiça, paz e integridade da criação. Durante as visitas, as Irmãs prometem orações regulares e diárias pelas necessidades da província e do mundo. Dessa forma, elas também dão um testemunho confiável e são exemplos para vários funcionários. É muito importante que as Irmãs e os funcionários de nossas instituições educacionais eduquem as pessoas que lhes são confiadas para que tenham consciência da totalidade da criação. Além de praticarem uma boa interação uns com os outros, os alunos aprendem sobre o cuidado com a criação. Um exemplo é a experiência “eco-kids”. As crianças aprendem o que significa viver um dia sem eletricidade: tomar café da manhã à luz de velas, não ter um almoço quente e não poder usar um computador ou telefone.

Numa outra instituição, os alunos trabalharam em benefício de seus semelhantes, montando pacotes de alimentos para os necessitados em Regensburg ou coletando tampas de plástico para a vacinação contra a pólio. Em todas as nossas comunidades, compramos de forma consciente e sustentável roupas, alimentos e detergentes. E nos certificamos de que os alimentos sejam provenientes da região ou do país, que sejam sazonais e, de preferência, sem embalagens plásticas. Em uma conversa com os líderes de nossas comunidades, ficou claro o quanto é importante estarmos atentas a essas “pequenas coisas” e ver que o compromisso com a integridade da criação é inseparável de nossa vida como IENS.

Participação das Irmãs Escolares de Nossa Senhora na ONU

Por Irmã Beatriz Martínez-García, IENS, Representante da ONU-ONG.

Como organização não governamental da ONU, nosso foco é a defesa dos direitos de meninas, mulheres e pessoas que vivem na pobreza. Nosso objetivo é promover mudanças sistemáticas na sociedade.

Estou entusiasmada em compartilhar com vocês a participação das irmãs, associados, colegas e instituições das IENS nas conferências da ONU, bem como o trabalho de advocacia organizado pelas ONGs. A colaboração para o bem-estar das pessoas e do planeta é inspiradora.

Em 31 de janeiro, um grupo de 36 alunos entusiasmados da Academia “Holy Angels” em Nova Jersey, EUA, visitou as Nações Unidas. Joan Connelly e Jennifer Cucchisi lideraram o grupo com grande entusiasmo. Durante a apresentação na área do Visitor Café, expliquei o papel das ONGs na ONU. Isso incluiu o trabalho de advocacia das IENS em colaboração com outras ONGs e a Rede Internacional IENS Shalom. Rede Internacional. Os alunos foram receptivos e fizeram perguntas interessantes. Após a apresentação, o grupo fez o tour guiado pela ONU.

Em 9 de fevereiro, o Comitê de ONGs sobre Desenvolvimento Social sediou o Fórum da Sociedade Civil 2024. A Ir. Karina Ubillús Agurto (Sudão do Sul) participou do evento por meio de transmissão ao vivo. Antes do Fórum, eu me reuni com representantes dos governos de Gana, Japão, Peru, Polônia e Portugal, além de outros colegas. Discutimos as Quatro Prioridades do Comitê de Advocacia , que são destacadas na Declaração da Sociedade Civil 2024, apoiada pelas Irmãs Escolares de Nossa Senhora.

CSW2024-graphicA Comissão sobre o Status da Mulher realizou sua sexagésima oitava sessão de 11 a 22 de março. A delegação das IENS era composta por estudantes e funcionários da Universidade Mount Mary, em Milwaukee, WI, e da Academia Holy Angels, em Nova Jersey, EUA. Para preparar-se para a Comissão, todos os delegados participaram de uma reunião de orientação on-line.

Outro evento empolgante foi a visita às Nações Unidas de 40 alunos e cinco membros da equipe da Notre Dame High School de Kyoto, Japão, com quem me encontrei e fiz uma apresentação sobre “Artesãos da Paz” em 8 de março.

Basílica de Santa Maria em Trastevere, Roma

Viajando com Dignidade: Ouça, Sonhe, Aja

Pela noviça Marcellar Chepkemoi, Província da África

Nós, do Noviciado e algumas Irmãs da comunidade do Generalato, fomos abençoadas por Deus para participar de uma vigília de oração inter-religiosa, unindo-nos à igreja em oração para uma maior conscientização e trabalho contra o tráfico humano. O Papa Francisco diz: “Eu os encorajo a cuidar da dignidade, a sua e a de cada pessoa que encontrarem”. Isso é muito inspirador, porque a verdadeira dignidade começa em nós mesmos, a partir de quem somos e o que fazemos com nosso próprio ser e estender de quem somos aos outros.

A oração foi repleta de espírito, com momentos de silêncio e intercessões significativas, que eram universais e muito tocantes, pois se conectavam aos cinco elementos da natureza. Compartilhando nossas preocupações com toda a criação, nos tornamos bons pastores uns para os outros. Isso exige uma oração para que todos nós nos esforcemos para cuidar da Terra, que é o nosso lar. Se realmente buscarmos a orientação do Espírito Santo para entender como os elementos da natureza (água, fogo, ar, vento e terra) estão relacionados ao tráfico humano, poderemos conhecer suas causas principais e porque a dignidade humana é afetada.

Foi reiterado na oração que precisamos rezar para ter a graça de ouvir, sonhar e agir. Nós, IENS, erguemos nossas vozes “para eliminar as causas profundas da injustiça”, conforme declarado na Constituição Nº17 de Vós Sois Enviadas (VSE): Nós nos esforçamos para ser solidárias com aqueles que estão sofrendo. Oramos para crescer na responsabilidade de cuidarmos umas das outras e da nossa mãe terra.

 Muitas pessoas são feridas pelo tráfico humano causado pelas guerras, conflitos, crises climáticas e políticas. Rezamos pelas graças de cura, proteção e liberdade para todos os que estão sendo traficados. Também foi comovente o fato de muitos jovens de diferentes partes do mundo terem vindo para rezar e divulgar a conscientização contra o tráfico humano. Essa é realmente a esperança para o futuro: ver nossos jovens saindo de sua zona de conforto e indo além. Isso é muito inspirador, e precisamos orar cada vez mais para que os jovens possam abrir-se mais para esse chamado e responder. Como disse a santa padroeira desta causa, Santa Bakhita: “O Senhor me amou muito. Devemos amar a todos”. Diante de provações desumanas, ela só via a face de Cristo.

Conscientes de nosso impacto sobre as pessoas e o planeta

Por Tim Dewane, Shalom-JPIC, Província do Pacífico Central  

“A educação no espírito da Bem-aventurada Teresa, com foco no desenvolvimento humano e na sustentabilidade ambiental, é fundamental para a transformação do nosso mundo.”
(Atos dos 25º Capítulo Geral)

Em reconhecimento ao fato de janeiro ser o Mês da Conscientização sobre o Tráfico Humano e em apoio ao nosso Compromisso Laudato Si’ das IENS, Irmãs, associados e amigos reservaram um tempo para considerar de forma mais intensa o impacto que nossas escolhas têm sobre as pessoas e o planeta. Nossa jornada começou com um webinar especial – Mindful of Our Impact on People and Planet (Conscientes do nosso impacto nas pessoas e no planeta) – no qual usamos depoimentos, reflexões e diálogos para explorar o quanto nossas escolhas alimentares e de consumo podem contribuir para um efeito cascata positivo para a sociedade ou acentuar os desafios enfrentados pelas pessoas e pelo planeta.

Demos continuidade a essa experiência com reflexões semanais que enfocaram o tráfico de mão de obra e o trabalho infantil; o verdadeiro custo dos preços baixos; o comércio justo e a origem ética; os cinco Rs da redução de resíduos e a mudança de cultura e consciência.

Concluímos nossa iniciativa com um vídeo de reflexão em comemoração à Festa de Santa Josefina Bakhita e em reconhecimento ao Dia Internacional de Oração e Conscientização contra o Tráfico Humano (8 de fevereiro). Essa iniciativa nos ajudou a reconhecer, com mais clareza que, se pensarmos bem, cada escolha de alimento e consumo que fazemos se torna uma oportunidade de viver nossos valores e deixar uma marca positiva na Terra e em suas diversas comunidades. E que “cada pedacinho ajuda” (Laudato Deum 70), pois até mesmo as pequenas coisas que fazemos podem ajudar a mudar a cultura e a consciência, o que é fundamental para a transformação de nós mesmos e da sociedade.

Coalizão de Justiça Religiosa: um modelo de colaboração

Por Irmã Beatriz Martinez-Garcia, Representante da ONU-ONG das IENS

A Coalizão de Justiça Religiosa (CJR) é um grupo de 22 organizações não governamentais credenciadas para representar coletivamente mais de 200 congregações de religiosas e religiosos católicos romanos na ONU em Nova York. Os membros da CJR trabalham unidos para aprimorar a colaboração entre nossos membros – na sede da ONU e em todo o mundo – em nossa missão comum: melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem na pobreza e aprimorar nossa administração do ambiente natural.

Em 15 de janeiro, os contatos da Shalom de Honduras, Peru e Sudão do Sul participaram da primeira reunião on-line do Programa 2024 para “Delegados Digitais” de ONGs religiosas no Fórum Político de Alto Nível para o Desenvolvimento Sustentável. Eles estão se preparando para participar virtualmente desse Fórum em julho.

A Hora da Comunidade Global (HCG) é uma reunião mensal global, on-line para católicos, disponível em inglês, francês, português e espanhol. Os participantes descobrem e trocam preocupações emergentes sobre justiça regional enquanto se mantêm informados sobre a defesa da família de congregações da HCR nas Nações Unidas. O HCG de fevereiro teve como foco o ODS 2: Acabar com a fome. Nossa ONG conduziu a oração conclamando que nossa esperança e compromisso é acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável. As Irmãs Rosa Maria Trochez e Christine Garcia participaram do programa várias vezes.

Os membros da JCoR enviaram uma declaração por escrito à Comissão sobre o Status da Mulher, o que foi uma ótima oportunidade de fazer com que suas vozes fossem ouvidas! Para ler a declaração, clique no link Bemvindo JCoR .  Explore o site da JCoR para encontrar recursos que promovam a colaboração e fortaleçam a capacidade dos membros de abordar as causas fundamentais do desenvolvimento insustentável.

Reserve a data para assistir à transmissão ao vivo pela UNWebTV

A vigésima terceira sessão do Fórum Permanente das Nações Unidas sobre Questões Indígenas será realizada de 15 a 26 de abril. As reuniões oficiais serão transmitidas ao vivo.

O tema é “Aprimorando o direito dos povos indígenas à autodeterminação no contexto da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas: enfatizando as vozes da juventude indígena”.

O boletim informativo Shalom/UN-NGO é uma publicação das Irmãs Escolares de Nossa Senhora.
via della Stazione Aurelia 95, 00165 Roma – tel. +39.06.6652.01 fax: +39.06.6652.0234.

 

Resp. Trad. :Irmã Tarcísia Schwade, IENS