Love gives everything graphic

Reflexão internacional de Solidariedade

Educação

Maio 2019

pdf para imprimir  (220KB)

IntroduçãoEducation icon

“Ambas, Madre Teresa e Madre Carolina entenderam o poder da Educação, que dá energia aos seres humanos, principalmente às jovens, ajudando-as a ganhar independência, crescer na auto-estima e liberdade pessoal e, assim, transformer a sociedade. Elas reconheceram educação como fermenta, capacitando outros a viver com dignidade de seres criados à imagem de Deus. Este princípio pedagógico central influenciou enormemente as práticas pedagógicas naquela época. Ela também ajudou a preparar a base para uma educação mais holística que integrava instrução e desenvolvimento do caráter.” (Refletindo nosso Carisma: Reflexões sobre Quem Nós Somos E o Que Trandforma Nossa Vida na Missão, (2007), pág.15).

Martin Luther enfatizava que é somente através da Educação que descobrimos nossos dons e nosso chamado, nossa vocação individual. Talvez, isto seja o maior objetivo da educação: capacitar os jovens a descobrir seus talentos e interesses, na verdade, seu sentido de viver. A educação infantil devia ser designada de uma maneira que ela obtivesse o conhecimento dos dons e do chamado da pessoa. A educação superior devia estar à disposição de todos os que a procuram, independente da sua situação sócio-econômica.   (Marilyn J. Harran, “Reflxões sobre Martin Luther e Educação Infantil”,  Jornal da Ética Luterana, volume 4, Janeiro 2004)

Nana Akuffo- Addo, atual presidente de Ghana, é um dos presidents mais corajosos e visionarios ao introduzir o Segundo grau gratuito. Este regulamento oferece o dom da educação, e inclui todas as refeições, uniformes escolares, acomodações, uso dos laboratórios, e outras vantagens estudantis. Os assuntos importantes da educação de ACESSO, IGUALDADE e QUALIDADE, enfatizam os princípios levando o regulamento a alargar o acesso à educação.

O governo procura assegurar uma sociedade justa, onde há oportunidades iguais para todos, independente das circunstâncias familiares. Porém, a implementação enfrenta muitos desafios, tais como: a acomodação inadequada e infra-estrutura das salas de aula. Como resultado, algumas escolas recorreram a adotar um sistema de turnos para facilitar e evitar o congestionamento nas salas de aula e nos dormitorios. Os estudantes são divididos em dois grupos: um grupo (chamado – terreno verde) vem para a escola por 04 meses e depois voltam para casa por um intervalo. O Segundo  grupo   (terreno dourado) vem por sua vez para a escola. No caso de estudantes diurnos, se for muito distante, os pais preciam alugar um quarto para o/a estudante morar sozinho/a ou morar com outros estudantes diurnos. Para as estudante femininas, este arranjo as coloca em risco.  Dez por cento das estudantes da população feminina do primeiro ano se exige que sejam classes diurnos, enquanto 20% da população masculina devem ser estudantes diurnos.

Chamada para Orção

Nós educamos, defendemos e agimos em colaboração com outros pela dignidade da vida e o cuidado com toda a criação. (VSE C9, 17: DG 19; Direção Orientadora, 24º Capítulo Geral, Outubro, 2017)

Experiência

Elizabeth, uma menina de quinze anos, é uma das estudantes na Escola Secundária Feminina de Notre Dame. Ela mora com sua tia numa vila chamada Kurosua. Elizabeth foi morar com sua tia quando tinha cinco anos de idade. Sua tia tinha 10 filhos, assim Elizabeth era a décima primeira aos cuidados da tia. Elizabeth achou tudo isso muito difícil de terminar muitas coisas e ainda cuidar das próprias necessidades e providenciar seus materiais escolares básicos na escola. Porém, deu um jeito de terminar sua educação primária.

Ela explicou que havia dias, nos quais teve que se ausentar da escola porque precisava ajudar sua tia na lavoura até que a colheita terminasse. Isto foi uma oportunidade de ganhar algum dinheiro para comprar livros. Esta ausência da escola, obviamente, afetou seus resultados nas classes. A tia de Elizabeth tinha grande paixão pelos estudos e realmente queria ver sua sobrinha formada, mas ela devia trabalhar longas horas para responder a necessidades básicas para seus dez filhos e sua sobrinha.

Elizabeth devia apresentar-se na escola dia 08 de novembro de 2018 para começar o ano acadêmico de 2018/2019 – educação na escola secundária gratuita. Ela não pôde se apresentar na data marcada porque sua tutora não tinha o dinheiro para transporte e outros materiais básicos para ela poder ficar na escola. Finamente, três meses mais tarde ela apareceu na escola com sua tia, com uns poucos artigos na bolsa – uma barra de sabão e um lençol não recomendado. Quando foi perguntada por quê tinha-se apresentada tão tarde, ela narrou sua história.

Ao ouvir sua triste história, a comunidade escolar tomou interesse nela e começou a mobilizar os materiais que precisava para seus estudos. Uma professora deu-lhe abrigo até que seus materiais fossem comprados, e depois foi transferida para uma casa de abrigo. (internato). Uma das Irmãs levou esta história para a comunidade IENS e a compartilhou com elas. Elas organizaram alguns artigos e a ajudaram, prometendo apoio. Elizabeth teve que mudar o programa de estudos que havia escolhido inicialmente por causa da sua entrada atrasada, e não tinha possibilidade de recuperar.

Embora o governo ofereça educação secundária gratuita e acessível a todos, a realidade de Elizabeth permanence um desafio para ela e outros estudantes vivendo em condições similares. É seu desejo e sua prece que  encontrará um meio de terminar sua educação.

Reflexão

Refletindo sobre a pobreza de Elizabeth, que pensamento surge, sabendo que há muitos outros estudantes em Ghana e em todo o mundo que estão fora da escola por causa da pobreza. Mesmo que a escola elementar e secundária sejam gratuitas, muitos pais e tutores (guardiãs) lutam para conseguir os materiais básicos e essenciais para os seus protegidos para poder estar na escola. A grande pergunta aqui é, como podemos reduzir a pobreza na nossa sociedade, ajudar a pessoa mais pobre na menor vila para conseguir uma educação formal, ou mesmo qualquer educação que ajudaria à pessoa a alcançar seu potencial na vida. Madre Teresa e Madre Carolina sabiam que a educação é uma ferramenta poderosa e energizante que podia fortalecer a mulher, levantando sua auto-estima e auto-respeito enquanto com seupotencial podia oferecer uma vida melhor para si e sua família. Que todos continuem a pedir Deus para que as pessoas abram seus corações para experiências de vida que convoca a todos nós a eliminar a pobreza, para que a educação possa transformar nosso mundo.

Ação/Atitude

  • Tomem tempo para ponderar o que significa ser tirado da escola porque seus pais não podem pagar mensalidades escolares ou materiais básicos de estudo.
  • Ajudem uma comunidade pobre e apóiem crianças necessitadas naquela área.
  • Rezem pelos povos empobrezidos do mundo para que sejam ajudados a vencer os desafios que se apresentam para eles.

Oração Final

Deus de amor, nós sabemos que os recursos não são distribuidos com igualdade, e ainda assim, nós adquirimos riqueza para nós no desespero dos pobres. Ajude-nos a escutar as vozes que nos desafiam a comprometer nossos corações ao serviço do povo de Deus, aos pobres de Deus. Pedimos isto por Jesus Cristo nosso senhor. Amém.

Que Deus nos abençoe a todos!

 

Preparado pela Ir. Emelia Ayambire IENS, Província da Africa,para o Escritório Internacional Shalom, Roma, Italy
Gráfico de frente é da Direção Orientadora do 24º Capítulo Geral. Design: Escritório de Comunicação Congregacional.

Tradução: Ir. Tarcísia Schwade

Print Friendly, PDF & Email